Mental Health

MUDANÇAS NA ALIMENTAÇÃO DURANTE A PANDEMIA GERAM RISCOS À SAÚDE | by Ibmec News – Lab Editorias Especiais | Dec, 2021

Ibmec News - Lab Editorias Especiais

Ingestão de alimentos de baixa qualidade torna a saúde da população mais vulnerável ao longo do confinamento

Por Caio Vieira

A falta de cuidados com a alimentação pessoal durante a pandemia contribuiu para o agravamento dos quadros de risco oriundos da infecção pela COVID-19. Nutricionistas recomendam atenção redobrada à dieta no contexto de maior ingestão de alimentos para pronto consumo e de baixa qualidade.

Imagem disponível em MD.Saúde

A mudança de hábitos da população durante a pandemia da COVID-19 levou as pessoas a recorrerem a soluções mais simples de alimentação, como os fast-foods e os serviços de entrega residencial. As consequências da aderência a esse tipo de cardápio, no entanto, aliadas ao sedentarismo, pouco contribuem para a manutenção da saúde pessoal.

Alimentar para reforçar

O período, de constante preocupação com a imunidade pessoal e proteção contra os vírus, trouxe novas formas de conscientização da população sobre os cuidados com a higiene individual e coletiva. Contudo, a precaução com os hábitos alimentares, que constituem uma etapa de igual relevância na manutenção da imunidade do corpo, continua negligenciada, apesar dos alertas dos profissionais da saúde.

Luciene dos Santos, especialista em história social e cultural do Brasil, estudante de nutrição e integrante do Grupo de Estudos para Alimentação e Nutrição Infantil (GEPANI), explica que o aumento dos casos de obesidade e a má ingestão de alimentos se deve à ansiedade e distanciamento dos amigos e familiares. (Esse afastamento) “fez com que as pessoas buscassem conforto na comida aumentando o consumo de alimentos de alto valor energético. (…) Todo esse contexto gerou um quadro de aumento de peso que pode levar a um quadro crítico em caso de infecção por COVID quando associado a doenças metabólicas como a obesidade e suas comorbidades”.

A nutricionista Déborah Levy Melcher reafirma que as mudanças da reorganização social fizeram com que o consumo de alimentos aumentasse e a população recorresse com mais frequência aos serviços de delivery. “Todo este cenário contribui para uma vida mais sedentária e um ambiente obesogênico muito grande, trazendo malefícios à curto e médio prazo para a saúde dos brasileiros. Muitos adquiriram maus hábitos alimentares aliados à ansiedade e aos trabalhos em casa, gerando certa dificuldade em retornar para uma vida mais equilibrada”.

A pandemia

A pandemia do coronavírus impacta o Brasil desde o primeiro trimestre de 2020, quando os primeiros casos foram identificados no país. Desde então, políticas públicas de saúde e restrições de locomoção contribuíram para o estabelecimento de uma nova dinâmica urbana centrada nos espaços residenciais e na redução das interações públicas em grupo com o objetivo de conter o vírus. As medidas, no entanto, apesar de bem intencionadas, contribuíram para a ascensão de problemas nutricionais que impactam igualmente no processo de imunização do corpo.


Source link

Related Articles

Leave a Reply

Back to top button